No balanço da rede…

Memórias são coisas engraçadas, elas ficam lá guardadinhas em algum lugar no cérebro e de repente, do nada, elas reaparecem. Nem sempre são boas lembranças, nem sempre você quer que elas voltem, pois irão fazer um estrago danado! Mas as vezes, ao surgirem, é impossível conter o sorriso nos lábios, de tão bom que aquele momento foi, revivê-lo é a melhor coisa do mundo!

E é assim que me sinto, quando lembro, daquela noite de verão. Nós dois, adolescentes com uns dois meses de namoro (no máximo), a noite estava agradável, o céu estrelado e uma linda lua que observava as nossas conversas tolas.

Seu pé se apoiava no chão e balançava a rede, eu estava envolta em seu braço e encostada em seu peito, podia até ouvir as batidas do seu coração, que estavam tão rápidas quanto as de um bebê no ventre de sua mãe. O meu coração, por sua vez, respondia as batidas do seu, tão rápido como ou até mais. Estávamos em perfeita sintonia. Caidinhos um pelo outro!

Ali fazíamos planos, por um futuro tão distante que nem sabíamos se iríamos alcança-los. Uma casa pequena, um jardim gramado, dois filhos (um casal que já tinha até nome), um cachorro, um gato, e, é claro, uma rede para deitarmos nos fins de tarde. Típico sonho adolescente, do amor de conto de fadas.

O seu cheiro, e o seu abraço me davam a sensação de aconchego, aquela sensação que a gente só sente quando estar em casa. Gostava de imaginar que a nossa história estava escrita nas estrelas. Era óbvio que a gente ia ficar juntos. E teríamos o nosso “Felizes para sempre.”

O tempo passou, e em como todos os outros contos de fadas da vida real, o nosso amor foi se desgastando com os acontecimentos de cada dia. Por muitas vezes quis desistir de você e sei que você também quis desistir de mim.

Nossos corações começaram a bater sinfonias diferentes. Nossos planos começaram a mudar. Mesmo assim insistíamos a tentar realizar o maior deles: ficar juntos. Mas o ser humano erra, e você errou feio comigo.

Não foi fácil, você sabe disso. Eu quis ir embora e pela primeira vez na vida te vi chorar, dessa vez meu coração apertava. Minha cabeça dizia: vá! E meu coração: fique! E as minhas lágrimas, que sempre tentei esconder de você , se revelaram. E então você viu e a garota “fortona” na verdade era tão frágil quanto todas as outras.

A choros e soluços , nos aproximamos, olhamos um para o outro. E no fundo dos seus olhos encontrei ternura, e lembrei dos mesmos olhos pelos quais me apaixonei. Os olhos que me deixavam envergonhada ao encontrarem os meus. Ali naquela noite, tão agradável quanto aquela na rede, nos abraçamos , sem nenhuma palavra falar. Ficamos ali abraçados e flashbacks passaram pela minha cabeça, lembrei de tudo de bom que a gente viveu em todos os anos que estávamos juntos. Resolvi ficar, trocar um erro, por todas as vezes que você acertou.

Uma vez ouvi que : “as pessoas que mais amamos são as que nos decepcionam , porque achamos que elas são perfeitas e esquecemos que elas são humanas”. Eu não sei quem disse isso, mas ele estava completo de razão.

Hoje conseguimos realizar boa parte dos planos que fizemos e ainda vamos realizar muitos outros , se Deus quiser.

E, de vez em quando, ainda compartilhamos a rede. E a cada balançar da rede, falamos menos do futuro e mais do presente. Vivemos o hoje, um dia de cada vez. E o que tem pra hoje é muita paz, amor, compreensão e parceria.

E ele continua balançando a rede , enquanto eu adormeço em seus braços.

*Imagem retirada da Internet

Anúncios

Um comentário sobre “No balanço da rede…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s