Feroz carrossel

624d855bf04567c1ded7d087a535ea69a960bfee_hq
Imagem retirada daqui.

Um dia a gente descobre que somos um grãozinho em um vasto universo.

Que a vida é uma linha e do outro lado tem uma velha que a qualquer momento pode atá-la.

Aos poucos vamos descobrindo o sentido da vida. Da nossa vida. Mas ainda assim é confusa e inexplicável.

Um dia o vestibular já terá passado. E a faculdade também.

E aos poucos, os algarismos da tua idade vão subindo mais rapidamente do que aquelas máquinas em casinos.

E os fios de cabelo vão começar a desbotar.

E tu vai perceber que virou tua mãe.

Vai notar que muitas coisas perderam a graça.

E que envelhecer é mesmo chato, mas vai se acostumar com isso.

As pessoas que conheceu vão deixando esse mundo. Pouco a pouco a vizinhança fica cheia de gente estranha, os velhos vizinhos já estão em outro plano.

E é estranho. Às vezes a gente até esquece. Mas olhar para as cadeiras vazias na frente das casas dá uma sensação de vazio.

Aos poucos as velhas vozes se esvaem, ao mesmo tempo, em que vozes infantis vão surgindo.

E como dizia aquela música da infância: “A vida se abrirá num feroz carrossel…”

E os nossos amigos do passado se tornam apenas conhecidos.

E as velhas cartas de amor deixam de fazer sentido.

E ficar em casa passa a ser o evento mais divertido do dia.

Quando você perceber que dia é hoje ele já aconteceu.

 

Não seja uma granada na vida de alguém

voshublp6t
Foto retirada daqui

No livro (e filme) “A culpa é das Estrelas, a personagem principal, Hazel Grace, diz que é uma granada e que se ela “explodir” machucará todos que estão perto. No caso de Hazel, “a explosão”não seria culpa dela, afinal não seria sua escolha morrer. E muito menos machucar alguém.

Agora, existem pessoas que acabam sendo “granadas” na vida dos outros e, muitas vezes, não percebem e nem querem admitir isso.

E quando somos granadas?

Somos granadas quando não pensamos nos outros quando tomamos determinadas atitudes. Atitudes negativas que podem causar sofrimento à outrem.

Por exemplo: Você tem uma amiga. Uma boa amiga, sincera, confidente fiel. Acontece que essa amiga é apaixonada por um cara e você, mesmo sabendo disso, vai e fica com ele. Sua amiga descobre e sofre muito. A amizade de vocês acaba. Percebe que você machucou a sua amiga? E como você poderia ter evitado isso?  Você tenta se justificar dizendo que “aconteceu”, que não foi porque você quis. Mas como diz o ditado popular: “De boas intenções o inferno está cheio.”

Outro exemplo: Você é casado (a) e tem filhos. Mas você se apaixonou por uma outra pessoa (e não há  nada de mal nisso). Só que em vez terminar o relacionamento com o seu cônjuge de forma madura, você trai, engana duas pessoas ao mesmo tempo, não se preocupando com as consequências disso. Acontece que seu parceiro(a) descobre. E tudo se transforma em uma confusão terrível, onde: além de machucar a pessoa com quem você compartilhou boa parte da sua vida, ainda machuca os filhos, que são totalmente inocentes na história.

É natural, que às vezes, o relacionamento acabe, não dê certo. Mas a coisa mais certa a se fazer é ser honesto com a outra pessoa. É tão óbvio que é até ridículo ter que escrever sobre isso. Talvez o outro não reaja bem a honestidade, porque nem todos estão prontos para ouvir verdades, talvez a pessoa te odeie, mas daí a consciência e problema já é dela.  Você sairá limpo da situação. Claro que, se a pessoa gostar de você, o sofrimento será inevitável . Mas muito pior que ser deixado é ser enganado.

Fiz questão de dar dois exemplos, um relacionamento de amizade e outro amoroso, porque a gente tende a acreditar que traições só existem no relacionamento amoroso. E traição existem de várias formas. E toda vez que você toma uma atitude impensada, você fere as pessoas que estão ao seu redor e, talvez você que está lendo este texto nem se preocupa com isso, mas tente colocar-se no lugar do outro. Não seja uma granada na vida de alguém, não estrague a felicidade dos outros.

Os sensíveis sempre choram

large
obs.; eu não consegui encontrar o dono dessa imagem. Se você for o dono dela me envie uma mensagem para que eu a retire ou peça permissão. obrigada.

Os sensíveis sempre choram.

Sim, eles choram. Choram porque não acham justo um mundo cruel que não se preocupa com as coisas simples.

Para os sensíveis nada nesse mundo passa despercebido, desde o trabalho minucioso das formigas, até os grandes aviões que passam no céu.

Eles choram, choram porque sentem demais. Choram porque já não conseguem carregar todo o peso da preocupação do mundo nas costas.

Tudo é intenso. Forte. A sensibilidade transborda pelos poros.

E se a nossa biologia nos permite chorar quando algo está errado, quando a emoção é grande demais para segurar, por que ter medo de chorar. Deixa transbordar.

 

Seja alguém que valha à pena conhecer

pexels-photo-1374525

Seja alguém que valha à pena conhecer…

Seja alguém que traz boas notícias

Que incentiva alguém e lhe dá elogios

Seja aquela pessoa que busca assunto depois de uma discussão

Seja o motivo de uma boa lembrança

Seja o sorriso depois do choro

Seja o abraço no meio do silêncio

Seja a mão que segura a outra nas dificuldades

Seja o ouvido para uma voz angustiada

Seja o arco-íris depois da tempestade

Seja o sol no dia nublado de alguém.

 

Outono

1

Já faz quase um ano e ainda é estranho.

Tanta coisa mudou desde que você se foi. Um dia você foi a grande novidade e agora só restaram poucas lembranças.

Tem tanta coisa legal acontecendo mas parece que sempre me falta algo. Às vezes parece egoísta comemorar tanta coisa legal sem ter você aqui.

Eu queria tanto que as coisas fossem diferentes. Mas já faz um tempo que eu percebi que eu não tenho controle de absolutamente nada. Eu descobri que eu não era a super heroína que eu imaginava e que não dá para salvar o mundo sem grandes poderes. Então eu me limito a tentar me salvar de todo esse caos.

Esse é o primeiro outono sem você. E, não sei se você sabe, mas eu nunca gostei de frio. E esses dias frios estão me lembrando você. E, uma coisa inacreditável aconteceu : parece que eu estou começando a aprender a gostar da queda de temperatura.

Sabe, foi complicado me reconstruir depois do outono passado. Eu me senti nua e sem alma. Todas as minhas folhas secaram e eu vi uma a uma cair sem eu poder fazer nada para salvá-las. Uma ventania passou e levou as poucas que me sobraram. E eu fiquei aqui, paralisada esperando a primavera fazer tudo florir de novo.

E foi passando, estação após estação e parecia que a redenção nunca vinha…

Mas aos poucos parece que a vida vem me presenteando com pequenos motivos para voltar a sorrir. E eu não tô falando só daquele “sorrir” de mostrar os dentes. Tô falando de sorrir mesmo, genuinamente, sabe?

Engraçado é que eu vi o meu fim no último outono e agora enxergo um novo começo no outono deste ano. 

Eu precisei te perder para me reencontrar. E, quando eu me olhei no espelho eu já não era mais a mesma. E, foi esquisito olhar para aquela pessoa estranha do espelho e ter que me acostumar que agora ela também fazia parte de mim. Mas nós fizemos as pazes e a agora eu me orgulho de quem nós somos e de quem estamos nos tornando.

Espero que desse lado aí também esteja tudo bem. Muito obrigada por me ajudar a me encontrar no meio dessa confusão toda.

Nesse outono tá frio lá fora, mas aqui dentro tudo permanece quentinho.

 

1/642 coisas sobre as quais escrever

apagar

Ela é como um dia ensolarado. Como risada de bebê. Como flores no meio do nada. Ela é alta, tem cabelos de molinhas que se enroscam no meio das costas.

Tem um olho castanho, que brilham feito estrelas no céu.

Sua pele é branca no inverno e morena no verão. A sua voz é ritmada, calma parece até um acalanto.

Os cabelos pretos, envermelham com a luz do sol.

Tem um sorriso bonito e mais bonita ainda é a covinha que se forma quando ela ri. Os olhos riem juntos, o rosto todo se contrai para dar uma boa risada.

Ela é discreta. Na medida do possível. Gosta de festas, mas as troca facilmente por um pote de pipocas e um bom filme em uma cama confortável.

Tem medo de altura, mas adora se sentir no alto.

Gosta de dançar quando ninguém mais está vendo.

E cantar também, apesar de não ter dom nenhum para o canto e assustar os vizinhos durante as suas performances.

Ela não pode ver um bebezinho que já fica toda boba.

É apaixonada por animais. Gosta da natureza.

Ela é uma mistura de mocinha de comédia romântica com vilã de novela mexicana.

Ela é várias em uma só e ainda assim consegui ser única no mundo inteiro.


Esse post faz parte de um projeto de escrita criativa 642 coisas sobre as quais escrever. 

Mais informações: Clique aqui

Minha receita de sucesso

toda-conquista

 

Fiquei por dias pensando em qual seria a minha “receita de sucesso”.

Sucesso.

De acordo com o dicionário Aurélio, Sucesso significa:

s.m. Resultado feliz; êxito. / Acontecimento, fato, caso, ocorrência

Fiquei em dúvidas, porque nunca tinha parado para pensar, de fato ,sobre isso.

Depois de refletir e ler os textos que as minhas amigas blogueiras escreveram, cheguei a uma conclusão bem óbvia: sucesso é algo muito relativo.

Há aqueles que acham que ser bem sucedido é ter bastante grana, ter bens, participar de eventos chiques e estar no meio de pessoas importantes da sociedade.

Outros acham que ser bem sucedido é ser feliz com a vida, mesmo com poucos bens.

Eu acho que ser bem sucedido é um estado de espírito, é acreditar em si, saber fazer escolhas sabendo das consequências delas. É se perdoar por não acertar sempre. E valorizar tudo aquilo que já possui. É aquela história de enxergar o copo meio cheio e não meio vazio, sabe

Essa geração ostenta muito. E muitas pessoas sentem-se frustradas por não conseguirem alcançar o nível dos seus ídolos das redes sociais. (Eu também já me senti assim…)E acreditam que ser bem sucedido é viver aquele tipo de vida…

Apesar de ser tudo legal a vida do outro, aquilo que a gente enxerga é só a ponta do iceberg.

A gente não sabe o que acontece com aquela pessoa no dia a dia, quando ela está sozinha. Ou quando está em família. A grama do vizinho continua sendo mais verde, porque a gente passa tanto tempo tentando descobrir qual o segredo daquela grama ser daquele jeito que esquecemos de cuidar da nossa própria grama. E a grama acaba morrendo por falta de cuidados.

Ou seja, passamos tanto tento observando e desejando a vida do outro que esquecemos das nossas próprias vidas.

Por outro lado, as vezes a nossa grama está linda mas acabamos valorizando mais a do vizinho, porque temos tendência a sempre achar que as coisas dos outros são melhores do que as nossas.

Talvez o segredo número 1 do sucesso seja: Cuide dos seus sonhos e deixe de lado as conquistas dos outros. Fique feliz com o sucesso do próximo e lute para alcançar os seus próprios.

Para mim, ser bem sucedida é ter uma família, uma casa para voltar no final do dia. Ter amigos para conversar. Ter um emprego bacana que te faça ajudar as outras pessoas. É deitar no travesseiro todo dia e ser grato por ter tanto coisa legal acontecendo.

Ser bem sucedido é olhar para o que temos, mesmo que seja pouco no olhar dos outros e achar a nossa vida a mais incrível de todas. Porque a gente tá vivendo ela e se começarmos a colocar defeitos demais vai ficar difícil de aproveitá-la.

O sucesso tem que ser algo que você se sinta orgulho de ter conquistado. E, não precisa ser necessariamente dinheiro.

A minha receita do sucesso é valorizar tudo aquilo que eu tenho e lutar para conquistar aquilo que eu ainda acho que falta. E, por enquanto tem dado certo e eu me sinto muito orgulhosa da pessoa que eu me tornei e de tudo que conquistei até aqui.

—————————————————————————————————————————————–

*Esse post fazia parte de uma blogagem coletiva do Projeto Vai um Café. Na época eu não consegui finalizar ele a tempo e ficou salvo como rascunho. Achei ele por aqui e achei um post legal para 2019.  Espero que tenham apreciado.