Nada vai ser igual

large
aqui

Já escrevi mil nomes na minha agenda mas nenhum deles combina tanto quanto o seu combinava do lado do meu.

Encarei uns 30 garotos hoje mas nenhum deles tinha o brilho que os seus olhos tinham ao olhar no meus.

Já perdi a conta de quantos sorrisos vi hoje mas nenhum deles fez com que eu ficasse com a cara de boba que eu ficava ao te ver sorrir.

Ouvi o barulho de umas cinquenta motociletas hoje, mas nenhuma delas fez o coração bater tão forte como aquele que eu sentia quando ouvia que era você que estava chegando.

Estou aqui tentando em vão achar alternativas, a ter esperanças de que eu ainda posso viver mil aventuras de amor que superem aquelas que tive com você.

Mas a cada dia me convenço que havia tanta singularidade no nosso relacionamento que vai ser difícil achar algo que supere, que seja melhor do que foi contigo.

E escrevo você em todos os meus textos porque tenho a esperança de que, se tornando um personagem de uma história fictícia, seja mais fácil apagar você da minha vida.

Já fiz você mocinho e vilão, já fiz bonito e feio, mas nada faz com que sua imagem saia da minha cabeça…

Na verdade eu sei que eu vou amar de novo. E sei que será bom. Mas sei também que nada nunca vai ser igual aquilo que era o “eu e você”.

 

Anúncios

Cinco anos depois

Texto publicado no meu outro blog (porque deu saudade de lá) :p

Tumblr

Este blog foi criado em meados de 2008/2009. Nessa época eu tinha 17/18 anos. Um dia me revoltei e apaguei todos os posts antigos.

Voltei a postar em 2010.

Olhando para os posts antigos, percebi quanta coisa mudou nesses cinco anos…

Como os posts mudaram, as ideias mudaram e, principalmente, como eu mudei.

Eu me esforcei para manter esse blog vivo. Mas alguma coisa fazia com que eu me prendesse ao passado por aqui. E algumas partes do meu passado me faziam sofrer.

Parei de postar.

Quantas e quantas vezes abri uma página em branco por aqui  e não tive inspiração para continuar a escrever…

A única coisa que via era um cursor piscando e algumas tímidas palavras que tentavam sair eram assassinadas pela tecla de apagar.

Reli posts antigos e me lembrei de fases pelas quais passei. Em alguns posts relatei minha infância: o bullying, as brincadeiras, as alegrias.

Se quiser continuar lendo: Clique aqui. ❤