Projeto Fotográfico 4×1 – (ABRIL)

Eu já falei que amo fotografia? Sim, eu amo. Desde os seis anos de idade quando minha mãe apareceu em casa com uma câmera estragada para eu “brincar”. ❤

E sempre quis participar de projetos fotográficos, nunca comecei nenhum por falta de tempo para fotografar…

Eu participo de um grupo bem legal chamado:  Vai um Café?

E esse mês foi proposto um desafio fotográfico e eu amei e quis muito participar, mas… como nem tudo na vida são “flores” , esse mês foi muito difícil para mim, aconteceram uma série de coisas que me deixaram triste e pela primeira vez na vida a tristeza me deixou sem inspiração, sem ânimo para nada.

Como eu queria participar muito do projeto, resolvi postar algumas fotos que eu já tirei há algum tempo e que “encaixasse” com os temas propostos. Espero que não tenha problemas…

Então aí vai: Os temas foram: Infância – Natureza- Amor- Música ♥

  1. Infância:  Pensei em muitas formas de retratar a infância (que foi a melhor época da minha vida), depois de muito resolvi postar uma foto que fizesse com que a infância renascesse dentro de mim. Essa mãozinha colorida é do meu filho, ele tem três anos e com ele eu posso me sentir criança novamente. 26261862822_e51440d384_b (1)
  2. Natureza: Eu acho que é uma das coisas que mais fotografo. Me encanta cada detalhe da natureza, acho tudo lindo e perfeito, obra Divina. P.s.: Amo essa foto porque ela me faz lembrar o começo de “O Rei Leão”, que me deixa nostálgica e extremamente feliz (foi o primeiro filme que assisti em VHS *-*).editada
  3. Amor: Acho esse tema bem subjetivo… Para mim, o amor vai muito além de relacionamentos, ele está em todos os lugares, em tudo aquilo que a gente ama (pessoas, coisas e lugares). ❤ Escolhi essa foto porque tem o coraçãozinho que simboliza o amor e o céu que é uma coisa que me encanta muito. 🙂IMG_6218
  4. Música: Amo música e bolei um milhão (exagerada haha) de fotos que simbolizasse essa minha paixão, porém como contei no começo do post, não tive ânimo para fazer novas fotografias, então deixo para vocês essa foto que gosto muito de um show da banda do meu irmão “Rock Squad” (eles arrasam! :P). IMG_2591 Espero que tenham gostado da minha participação… ❤
Anúncios

Série: Les revenants

tumblr_n8clvelqe11tu7965o1_500

Olá, gente. Eu estou com um terrível bloqueio criativo, eu simplesmente não estou com vontade de escrever e quando escrevo algo não é muito bom. :/

Então, enquanto a inspiração não chega vou contar para vocês sobre uma série que terminei de assistir essa semana.

Primeiro, eu assisti ao remake dela no Netflix: The Returned, assisti em uns três dias a temporada inteira (10 episódios).  Sério, os episódios eram muito bons e como sempre terminavam sem respostas, eu queria assistir os próximos para matar a curiosidade. Porém só tinha uma temporada no Netflix e quando eu fui pesquisar para ver se tinha a continuação na internet, fui surpreendida com a triste notícia de que a série foi cancelada (#chateada). Por outro lado, descobri que ela era remake de uma série francesa chamada Les Revenants. Ouvi falar tão bem da versão original que fui correndo para assisti-la. E cara, que série! Vale muito a pena assistir. A série francesa dá um ar mais sombrio e eu diria que até melancólico a história.Tem umas partes que dão um pouco de medo e são muito estranhas, outras são extremamente dramáticas. Me apaixonei pelo Simon (não me pergunte porquê ) e achei o Victor assustador.

A série foi lançada em 2012 e foi baseada no filme de mesmo nome, no Brasil: Eles voltaram (2004) e é sobre a história de uma cidade francesa, em que misteriosamente os mortos voltam a vida. Não, não tem nada a ver com “The Walking Dead”, nem com os filmes de mortos vivos/ zumbis que estamos acostumados a assistir e esse foi um dos pontos que me atraíram a assistir a a série. E esses mortos voltam sem lembrarem do que aconteceu, eles não sabem que estão mortos e retornam às suas casas como se nada tivesse acontecido.

É composta por duas temporadas (2012 e 2015) a primeira tem 8 episódios de 60 minutos e cada temporada leva o nome de um personagem. A segunda temporada também tem oito episódios de 60 minutos, sendo o último a Season Finale. As histórias prendem a atenção pelo mistério que transmite a cada episódio. Só dou uma dica: Assista o primeiro episódio da primeira temporada: Camille. E tire suas próprias conclusões.  Se você procurar na internet achará muitos spoilers, mas como eu acho isso muito chato me limito a parar de contar aqui, para não estragar o mistério quando vocês forem assistir.

Há quem diga que a série ainda tem uma outra adaptação americana, chamada Ressurection, outros defendem que a semelhança entre as séries é pura coincidência (a própria ABC que produziu a série Ressurection diz isso). Não posso dizer muito, porque ainda não assisti , mas resolverei esse problema em breve hehe. Depois conto à vocês o que achei da série e vou assistir o filme também, simplesmente porque tô obcecada pela história (sim, sou louca hahahah).

tumblr_n2a63j9vy71ts9yb2o8_250
Esse menino dá medo

Quem assistiu primeiro “Les Revenants” , geralmente não gosta do remake “The Returned”, talvez por eu ter assistido primeiro o remake eu posso dizer que gostei das duas versões. Os primeiros episódios são idênticos, mas depois The Returned muda um pouquinho a história (se não me engano a partir do sexto episódio, já que diferente da versão original a série americana tem dez episódios).

Dou cinco estrelas para as duas séries. ★★★★★ 

Recomendo que assistam, não irão se arrepender! Ah, sim se você não gosta de séries legendadas, será um pouco chatinho para assistir Les Revenans, porque não tem a versão dublada, porém insisto que vale a pena (deixa de preguicinha haha). Já “The Returned” tem dublado, no Netflix.

photo1
Camille de “The Returned”

Aqui o trailer da primeira temporada de Les Revenants:

Quarta-Feira Criativa (23/03/2016)

Eis que chega ao fim a Quarta-feira Criativa. Quero parabenizar o Lucas e a Juliana pela iniciativa e agradecer por ter permitido que eu participasse, foi um prazer criar todos esses microcontos, foi desafiador escrever em no máximo 1500 caracteres e ao mesmo tempo recompensador. Eu não estava conseguindo escrever esse… Aí a primeira ideia que veio em minha cabeça foi essa história … Espero que gostem!

Se quiserem ver minhas outras participações: Clique aqui!

Mal dia

Jóice D´Aviz

Chuva, raios e trovões. Um dia perfeito para ficar em casa, assistir a um filme, com um copo de chocolate quente e um cobertor bem quentinho… só que não!

Quem é ou já foi universitário, sabe que as coisas não funcionam assim para a gente. Esses dias são perfeitos para ter aquela matéria difícil, que você precisa de muitos pontos para passar.

Ok, preparando o kit sobrevivência: lanterna, guarda-chuva, uma jaqueta de couro e um coturno.

Lá vou eu para a faculdade, desviando das crateras do asfalto e das poças de lama. Quando eu finalmente termino de organizar meu material a energia acaba. Detalhe: a minha faculdade não tem gerador, o que significa que sem chance de ter aula hoje.

O professor avisa: Cuidado com a escada!

Parece que a mensagem foi para mim: “B-R-U-N-A, cuidado com a escada!”

Procuro, desesperadamente, pela minha lanterna. E surpresa! Esqueci a bendita em casa! Que ótimo!

Todos estão descendo as escadas vagarosamente, quando faltando dois degraus eu escorrego e me esborracho no chão, feito uma jaca.

Todos vem preocupado para me ajudar perguntando se está tudo bem e eu respondo que sim. Então vira um circo e a palhaça sou eu, todos começam a rir. E eu dou risada também, para tentar amenizar o mico que acabei de passar. Ainda bem que estava escuro e ninguém percebeu a minha cara de tacho. Todos repetiam em coro: Só podia ser com a Bruna mesmo!
É, acho que talvez eu deva acrescentar ao meu “kit de sobrevivência uma ferradura, pra ver se começo a ter sorte.

Para alguém que vai, mas ainda está

estou_triste_voce

Você acha que tem o controle de tudo. Até que a vida vem e te dá um tapa na cara, para mostrar quem é que manda.

Você acorda naturalmente, como todos os dias. Você faz planos.

Você sente que, embora as coisas pareçam normais, tem algo estranho no ar, uma sensação esquisita, mas ignoramos e continuamos o dia como se nada tivesse acontecido.

Telefonemas tem o poder de mudar as coisas.

Quando eu era criança, lembro que adorava atender o telefone. Meu irmão e eu, chegávamos a brigar por isso.

Mas então eu cresci. E em certas situações eu preferiria não atendê-lo.

Em um dia você conversa com a pessoa, ri com ela, almoça com ela e no outro dia, o telefone toca. Ela já não está mais lá.

Ela está, mas não está. Foi tudo tão rápido…

A tecnologia mantém ela viva. Mas você sabe que não manterá por muito tempo.

E na sua cabeça vem milhões de pensamentos, arrependimentos, mas já é tarde demais.

E então, você se dá conta de que nada está sobre controle. Que o livre arbítrio não te dá a liberdade que você imaginava ter.

Que esperar pelo dia seguinte nem sempre é uma opção. Já ouvi falar que o amanhã não existe. E,  cada dia, percebo o quão certa esta afirmação é.

Não importa quanto dinheiro você tenha, você não poderá dar todos os abraços que você não deu, as palavras que não disse, o bom dia que não respondeu. Não vai. Não, o amanhã não existe e o hoje pode durar menos de um minuto.

Então eu digo para você leitor: que seja um minuto bem aproveitado, que seja um minuto de risada, um minuto de abraço, um minuto de beijo. Aproveite o momento. Sim, é clichê. Mas aproveite cada minuto do seu dia, para demonstrar para as pessoas como você se importa com elas. Porque um dia pode ser tarde demais para isso.

Enquanto isso, eu fico aqui, aguardando um telefonema que eu odiarei atender.

Tag Viciados em Música ♥

♥ Uma música romântica que gosto – You and Me – Lifehouse (me derreto por essa voz *-*)

“…Cause it’s you and me and all of the people
With nothing to do, nothing to lose
And it’s you and me and all of the people and
I don’t know why I can’t keep my eyes off of you…♫

♥ Uma música que me define – Primeiro de Julho – Cássia Eller

“Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher; Sou minha mãe e minha filha; Minha irmã, minha menina. Mas sou minha só minha e não de quem quiser…”

♥ Uma música que faz chorar –  Talvez não faça chorar, mas que dá um nó na garganta, ah dá e como dá: Vento no Litoral – Legião Urbana

“… Agora está tão longe
Ver a linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos
Na mesma direção
Aonde está você agora,
além de aqui dentro de mim?”

♥ Minha música preferida no momento – Eu já fui a roqueira louca dos heavy metal (haha), mas agora tô em uma fase mais zen e tô ouvindo muito Anavitória (me encanto com essas vozes doces ) : Singular – Anavitória (já coloquei essa música no blog aqui).

“…Mesmo se você brigar
Eu te enlaço
E não me permito soltar
Pro nosso nós não deixar de ser assim: Tão singular…”

♥ Uma música que não consigo gostar – Hoje em dia eu até consigo tolerar ouvir qualquer tipo de música, porém admito que sertanejo universitário continua me dando dor de cabeça e por azar nasci no interior do Paraná, e aqui SÓ toca isso, socorro! Ah, sim e aqueles funks “porcos”.  Não vou colocar nenhum link aqui, porque né…

♥ Citar uma parte da minha música preferida: Eu amo, amo, amo, já falei que amo Legião Urbana? Foi por causa da banda que passei a prestar mais atenção nas letras das músicas, foi por causa deles que comecei a aprender a tocar violão. Me inspiram e muito.

Quase sem querer – Legião Urbana ♥

“… Quantas chances desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém…”

♥ Minha música nacional favorita: Essa é difícil, porque eu amo música nacional… Mas para não colocar (de novo) Legião Urbana, vou colocar uma da minha segunda banda (nacional) favorita:  A Promessa- Engenheiros do Hawaii

“(…) Tu me encontrastes de mãos vazias
E eu te encontrei na contramão
Na hora exata, na encruzilhada, na highway da
superinformação
Estamos tão ligados, já não temos o que temer

O céu é só uma promessa
Eu tenho pressa, vamos nessa direção
Atrás de um sol que nos aqueça
Minha cabeça não aguenta mais.”

Adorei responder essa tag e foi uma das mais difíceis, porque eu gosto muito de música. Muito obrigada pela indicação, blog De frente ♥

Espero que tenham gostado.

Nomear 5 blogues

  1. Isabela Cass ( a Isa já respondeu a tag, então coloquei o link com a participação dela 🙂 P.s: Ela me indicou também :p)
  2. Amor, vida e fé
  3. O eu-insólito
  4. Catando coquinhos no asfalto quente
  5. Book and Birds

 

 

Agonia

1499462_562369347171535_2078866243_n
É, sou eu :p

A angustiante procura do ser…

Sensação estranha de que está faltando algo (talvez alguém)

Minha mente inquieta procura motivos para pertencer a este lugar , a este planeta.

Procura entender porquê as outras pessoas parecem tão diferentes

Preocupa-se com coisas que não são do seu entendimento e que corroem seu coração

Procura respostas para perguntas retóricas

Sente-se só mesmo com muitos a sua volta

É feliz, mas gosta de ficar um pouco triste, porque ser feliz por muito tempo é desgastante

Tenta entender os outros na inútil procura de entender-se

Quando está triste as ideias aparecem quando está feliz elas transbordam

Meio termo não dá!

Se tá quente é para queimar se tá frio para congelar

Meu íntimo pede socorro , espera, clama por ajuda. Mas ninguém pode tirar-me de uma enrascada dessa! Ou pode?

Meus sonhos me dão pistas que a única que tem as soluções para essa agonia que ando sentindo é aquela que vejo no espelho todos os dias.

 

 

Só mais um

large
We♥It

Juro que faria de tudo para que ele fosse só mais um. Assim seria mais fácil desfazer esse nó no peito quando ele se vai. Seria mais fácil falar umas verdades quando ele está errado.

Os dias passariam mais rápido. As músicas do rádio me fariam dançar e não chorar agarrada ao meu travesseiro.

Eu simplesmente pegaria um balde e jogaria fora todas as fotografias, cartas, bilhetes, lembranças de nós dois.  Jogaria gasolina e acenderia um fósforo e queimaria tudo. Fingiria que nada daquilo existiu.

Eu passaria na frente da sorveteria numa boa, sem ter que lembrar como era legal estar com ele lá.  E como era impossível imaginar ir lá sozinha ou com qualquer outra pessoa.

Poderia não sentir nada, ao sentir seu perfume preferido em outro cara. Nem ficar na janela esperando ele chegar.

Eu queria, eu juro que eu queria não me apegar, não amar, não querer mais ver a imagem dele na minha frente. Eu queria sentir raiva por todo o mal que ele já me causou e por um ponto final nessa história. Mas toda vez que eu coloco um ponto, eu acrescento mais dois, eu  o transformo em reticências, que é para me dar esperanças que nossa história nunca terá fim.

Eu era só dele e queria faze-lo ser só meu. Nós iríamos conquistar muitas coisas juntos. A nossa história poderia ser mais linda que todas as histórias de amor já contadas. Ele poderia ser “só mais um”, mas seria meu “um” e nós seríamos “dois”, só de nós dois. Eu fiz a conta perfeita, mas eu nunca fui boa em matemática, enquanto eu somava, ele subtraiu.

Eu quis fazer dele único. Mas ele escolheu ser só mais um. Ele poderia ser a minha melhor lembrança ao final do dia. Podia ser uma vida inteira, mas escolheu não ser nem um terço dela.